Resenha: “Noturno”, de Scott Sigler, publicado pela DarkSide Books

Diferente, ousado e bem feito, Noturno é um livro bizarro-muito-bom
noturnoInformações Gerais
Título original: Nocturnal
Editora: DarkSide Books
ISBN: 9788594540416
Páginas: 512
Ano (edição): 2017
Autor: Scott Sigler
Nota Skoob: 4.2

O livro é bizarro, diferente, ousado. Tem uma história que, por qualquer deslize, poderia desandar e se transformar numa grande bagunça e em um grande livro non-sene. Mas por sem bem escrito e ter coerência de desenvolvimento, me conquistou e se mostrou de grande qualidade. Quando comecei a ler Noturno, não esperava nada. Até acreditava que poderia não gostar, apesar de a sinopse ter me feito comprar a obra. Injustamente, se trata de um livro pouco falado.

Noturno conta a história de Bryan Closer, um policial de São Francisco, nos Estados Unidos, que começa a ter sonhos estranhos, que mostram crimes brutais e até macabros. O problema é que quando acorda, ele descobre que estes assassinatos são reais. O que está acontecendo? Por que ele está prevendo estas mortes? Quem é responsável por elas? Com ajuda do colega de polícia Pookie Chang, Bryan vai tentar descobrir o que está acontecendo e, sem querer, ambos se descobrem em meio a um grande esquema perigoso e nebuloso na cidade da Califórnia.

Primeiramente é preciso dizer ao leitor que o livro é para pessoas que têm estômago, pois as descrições são bem detalhadas e se tratam de mortes brutais na maioria das vezes. É também, em certa medida, um livro de terror dependendo do nível de medo que cada leitor tem. Mas de forma geral, muito mais do que um livro de terror, é um suspense em busca da resolução do mistério que vai muito além daquele tradicional quem matou.

Scott_Sigler_(4772655043)

O escritor Scott Sigler

Noturno tem muitas qualidades. Scott Sigler, reconhecido autor lá fora e, infelizmente, nem tanto por aqui, constrói um livro bastante pontual em seu objetivo, que, como já disse, poderia ter sido uma grande furada, mas ele foi capaz de conduzir corretamente. Com diversos elementos sobrenaturais, o livro mistura realidade com ficção de um jeito que até confunde o leitor. O ritmo de Noturno é bastante ágil. São vários acontecimentos. A todo o momento tem algo em movimento, o que não deixa o leitor com tédio.

A escrita de Scott é daquelas que não subestimam o leitor. Nem tudo é dito claramente, muito é deixado nas entrelinhas. Nem tudo é mastigado, fazendo com que os leitores precisem forçar um pouco o pensamento para tentar entender o que está acontecendo. Os diálogos, especialmente as falas de Pookie, são muito bons, engraçados e precisos, sem rodeios (não posso deixar de citar a participação especial do Sr. Biz, que me fez rir alto com suas falas). Quem me acompanha, sabe como prezo por este quesito em especial.

Além de estar sempre em movimento, o livro tem ótimos acontecimentos que fazem com que o leitor não queira desgrudar do livro. Não são fatos que apenas estão ali para preencher páginas e surpreender o leitor, mas que fazem parte do todo. Soma-se a isso o fato de que o livro tem ótimos personagens. Além dos protagonistas, Noturno tem diversos outros, como Robin, uma médica-legista, Amy, a delegada, os Jessup, Rex, Astuto… enfim. Tantos personagens poderiam soar artificiais, mas todos são bastante reais. O leitor também precisa estar preparado para algumas mortes bastante chocantes que não eram esperadas. E ainda há romance, em pequenas doses, para aqueles que gostam.

NOC-HC-680

Capa original do livro

Ele, no entanto, tem alguns defeitos, que em hipótese alguma são relacionados às bizarrices e ao sobrenatural que o autor colocou. Alguns deles são sobre piadas. O autor coloca algumas piadas preconceituosas em algumas falas de alguns personagens. Piadas racistas, homofóbicas, machistas. A maioria feita por Pookie, que se tornam boas tiradas, mas nem sempre necessárias. Além disso, a DarkSide fez uma diagramação, de novo, complicada. Apertada, com letras pequenas, o livro às vezes se torna difícil de ler.

Enfim, é um livro eu gostei bastante e recomendo mais ainda. Noturno merece reconhecimento aqui no país e ainda daria uma ótima série (fica a dica, @netflix). E conforme ia lendo, era impossível não pensar em Stephen King. Noturno é, sem dúvida alguma, um livro que o grande escritor pensaria, mas, sem dúvida alguma, é um livro que ele não escreveria. Certamente o desenvolvimento dele seria bem diferente. Mas aposto que algo assim já passou pela mente dele. E se você quer saber o motivo, corra para ler. Garanto não vai se arrepender – só deixe sua mente bem aberta e embarque numa viagem bem “viajada”, afinal trata-se de um livro bastante bizarro, mas um bizarro-muito-bom.

Notas 5

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s