Resenha: “O que não existe mais”, de Krishna Monteiro

Fala pessoal! Tudo certo? Trago para vocês a resenha de O que não existe mais, obra nacional de Krishna Monteiro, publicada pela editora Tordesilhas. Confira!

O_QUE_NAO_EXISTE_MAIS_1421150746431179SK1421150746B.jpg

O que não existe mais é um relato sobre memória e desajuste, solidão e renascimento. Neste livro de contos, Krishna Monteiro explora esses temas sob vários ângulos. O de um filho perseguido nos corredores de sua casa pela lembrança viva o pai; o de um pacto celebrado pelo escritor João Guimarães Rosa numa encruzilhada; o de um galo de briga que, ao combater na arena, recorda toda a sua existência; o de um gato, narrando os últimos momentos de sua dona, sem compreendê-los; o de um velho soldado que tenta sem sucesso exorcizar a guerra; o de uma mulher que diante da degradação e do envelhecimento vê no ato de contar histórias a fonte mesma de criação e manutenção da vida.

Dentre as diversas categorias literárias, penso (de maneira empírica, claro) que de forma abrangente, duas se sobressaem: a das obras escritas com a essência e talento de uma vivência interna, frutos da paixão pela escrita que um autor tem e com isso faz das palavras maravilhas onde juntas formam singularidades em forma de texto. E por segundo as obras escritas a partir de uma ideia (que por vezes surge como um comichão na mente do autor) cultivada no intuito de agradar ao público ( e não ao conceito literário em si) e no final, mantida por interesse, apenas para gerar lucros, não restando nada da verdadeira essência que é o escrever para escrever (por paixão), onde o verdadeiro autor tira o livro literalmente de si.

Eu fico extremamente feliz que O que não existe mais, se encaixa na minha primeira categoria empírica, e mais feliz ainda pela obra representar a pura qualidade autoral nacional.

Krishna Monteiro reproduz nessa obra um talento interno e espirituoso a partir de contos de uma gramática rebuscada e bela, que remonta certo classicismo.

Breves, mas cheios de  uma reflexão leve e bonita, juntamente com muito diacronismo, os contos são extremamente gostosos de se ler, embora talvez requeiram um pouco mais de paciência na leitura para quem não é acostumado com obras dessa categoria.

O que não existe mais deve ser lido de forma paciente, onde aproveitemos e nos alimentemos calmamente de cada palavra, para usufruir por completo da certa leveza poética que a obra de Monteiro carrega.

O livro também trás certa nostalgia em sua narração, que aumenta sua leveza e particularmente me fez apreciar mais ainda o livro, fazendo-me rememorar as obras de Salim Miguel, por tal tom nostálgico.

Posso dizer que O que não existe mais, traz a essência da literatura nacional e sua qualidade é inquestionável. De uma leitura rápida, a obra deve ser apreciada, e se você gosta de algo leve, com um toque de nostalgia, classicismo e leveza poética esse livro é um prato cheio.

As páginas do livro remontam um cotidiano que não só envolve os acontecimentos da vida de certo personagem, mas o cotidiano de seu interior e principalmente de suas observações. Talvez seja isso, talvez O que não existe mais seja uma grande observação fruto de olhos serenos resgatados do talento de Krishna Monteiro.

11652075_579332818874199_304993955_n

Quero agradecer ao Oasys Cultural e ao José Fontenele, que entrou em contato com o Litherarium indicando O que não existe mais e nos proporcionando mais essa leitura. Muito obrigado!

Informações Gerais:
Editora: Tordesilhas
ISBN:  9788584190270
Páginas: 112
Ano: 2015
Autor: Krishna Monteiro

 😉

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s